Fisting 

Para muitos subs nada como sentir uma mãozona nas entranhas, engolir consolões de mais de 20  cm, ver o cu se abrir e mostrar a rose bud ( rosa em botao) vermelho púpuro.  Muitos acham que o cara que recebe o fisting perde a sensibilidade no ânus, quando na realidade ela aumenta. 

Fisting é algo que parece ser bem fácil mas que exige um pouco de conhecimento de ambas as partes. Alguns acesórios essenciais são luvas de borracha para proteger ambos de doencas e infecções. Recomendo usar lubrificante importado JLube, um pó que dilui em água e faz ate uns 42 litros de lubrificante próprio pra isso ( vc acha no mercado livre pra comprar). outros nao dao certo, nao sao adequados pra prática.

 

Além disso tem a genética/ fisiologia do fistee ( o passivo do fist), ou seja, pra alguns é naturalmente mais fácil ser fistado que para outros. Já para o fister ( o ativo do fist, digamos assim, a mão amiga, rs) é legal ter uma mão de média a pequena e macia, nao  ossuda.  Além disso o fister deve ter paciência e sacar o timing do fistee pra saber a hora de alargar, aprofundar, parar, deixar o outro respirar e principalmente não machucar. É importante ter  consolos de médios a grandes que com certeza mudam conforme o fistee vai evoluindo.  

 

O fistee deveria fazer uma sessão por semana , pois naturalmente tudo vai se fechando como se o fistee nunca tivesse praticado, principalmente no início.  

 

Já sobre o deep fisting, o fisting profundo é pra quem tem muita pratica e genética pra isso.   Alguns chegam a aguentar até o antebraço e ao contrário do que pensam, não machuca a pessoa e no fim da sessão está tudo no lugar. 

© 2014-2019 by Mestre Guto Lemos - all rights reserved. 

  • qVCTq7QS
  • OpuJfSgo
  • Instagram ícone social
  • Facebook App Icon
  • Twitter Mestre Guto Lemos