Sub Hard Pain

Relato da minha primeira sessão BDSM.

 

18 de janeiro de 2018, 19:22, chego no local. Toco o interfone e o porteiro me dá permissão para subir, entro no elevador e olho no espelho, meu coração dispara, respiração começa a acelerar e eu entro num leve estado de pânico.

Meu Deus! Estou prestes a realizar meu sonho. Paro, fecho os olhos e respiro profundo, penso, é tudo que você desejou enquanto assistia aqueles filmes no X Vídeos, então me acalmo e o elevador chega no andar.

Saio do elevador e me dirijo até a porta do apartamento, o desconhecido me espera e a anos não experimento nada pela primeira vez, tomo coragem e toco a campainha, aguardo.

Ouço passos, a porta abre.

Não sei se abaixo a cabeça em sinal de respeito ou se abro um sorriso, faço os dois, um breve sorriso e abaixo a cabeça. Boa noite, Dom.

Dom me responde e eu pergunto se posso entrar, ele acena com a cabeça e eu entro.

Me dirijo até a sala e paro em frente a uma mesa, cabeça baixa, o Dom fecha a porta e passa por mim.

Me manda tirar toda a roupa e deixar na cadeira. Obedeço.

Pelado na sala do Dom o vejo transitar entre dois quartos, após alguns minutos o mesmo volta com duas joelheiras e me manda colocar. Obedeço.

O Dom sai e quando retorna volta com uma coleira que coloca em mim e fecha com um cadeado.

Coloca uma venda nos meus olhos e uma mordaça na minha boca e neste momento o medo bate, mas meu nível de excitação mental vai ao limite.

Me manda ficar de quatro. Eu fico e então me puxa pela coleira, sinto a pressão do aço no meu pescoço provocada pela força do Dom me puxando. Entro num dos quartos e o Dom me manda subir numa cama. Obedeço.

Não vejo nada, fico de quatro na cama e de cabeça baixa e totalmente sem noção do que está acontecendo, quando de repente sinto a mão do Dom passando lubrificante no meu ânus. Penso! Ele vai me penetrar e então sinto o Dom enfiar algo em mim. Dói, arde, mas fico imóvel sentindo a dor da penetração inesperada e sem carinho.

Algum tempo passa, e, sem esperar, recebo um golpe na bunda, o golpe de algo como uma tabua, os golpes se repetem e eu já não lembro mais da dor do objeto dentro de mim, me apego a dor causada pelos golpes, a dor é boa e fico excitado, meu pau baba.

O golpe muda, agora o golpe na minha pele me lembra uma chibata, mas não posso afirmar, pois estou vendado e não consigo ver nada.

Os golpes param e eu penso, quero mais, muito mais.

O Dom sobe na cama na altura da minha cabeça tira a mordaça da minha boca e para com seu membro na minha direção, sinto o cheiro de homem e então começo a chupar.

Chupo com um imenso prazer, através dos lábios percebo que o Pênis do Dom é delicioso, cabeça deliciosa e lisa e me delicio até que ele sai.

Fico esperando de quatro, sem imaginar o que está por vir, quando o Dom me manda descer da cama e ficar de joelhos, momento em que tira minha venda, vejo um colchão preto de couro e então o Dom cospe com vontade no colchão e me manda lamber. Eu obedeço.

Começo a lamber e limpar o colchão, sentindo um prazer enorme, o Dom assiste e quando percebe que lambi e tomei todo aquele cuspe, volta a me vendar.

Me mantenho de joelhos e de cabeça baixa e quando menos espero vejo que meu rosto está colado na axila cabeluda do Dom. Começo a lamber e beijar com gosto. Quando o Dom cansa sai e eu volto para a posição de joelhos e cabeça baixa.

Sinto o Dom deitar na cama e quando me dou conta, seus pés estão no meu rosto, Ele me manda massagear com a boca os pés cansados de meu Dono após um dia de trabalho. Obedeço.

Começo a chupar seus dedões dos pés e sinto pelos lábios que são grandes, unhas grossas, de homem mesmo, passo a língua entre todos os dedos para limpar e massagear e desço para os pés. Dou lambidas fortes, generosas e molhadas, massageando o pé do meu Dono. Troco de pés e assim fico, intercalando um e outro num tesão incrível, até que o Dom sai, aguardo na posição e de cabeça baixa.

O Dom me manda subir na cama novamente e ir até o meio, eu subo e fico de quatro e cabeça baixa, aguado. Quando de repente sinto o Dom tirando o objeto que está enfiando no meu ânus.

Sem esperar, sinto o Dom enfiando seu pau delicioso em mim, e neste momento empino a bunda e deixo, dói, mas sinto um tesão imenso.

Fico de quatro com o rosto colado no colchão e vendado, só sentindo o Dom estocar em mim. Estou realizado, o DOM GUTO LEMOS está dentro de mim.

Fico nesta posição e me perco no meu tesão, sinto o Dom intercalar em estocadas leves e fortes, o Dom sai.

Me mantenho nesta posição quando o Dom me manda ir para a beira da cama. Obedeço.

Neste momento recebo um golpe na bunda, algo mais doloroso, sinto que é algo de madeira maciça, a dor é intensa e só agora, escrevendo este relado é que percebo o quão incrível foi.

Num ritmo contínuo o Dom bate e o medo me consome, mas estou entregue. O Dom para com os golpes e sai.

Na volta, me manda mudar de posição, deito na posição de frango assado, sinto o Dom colocar algo nas minhas duas pernas e algo na minha nuca. Sinto o Dom prender o que estava nas minhas pernas com o que estava na minha cabeça e neste momento estou preso na posição de frango assado.

Coloca algo no meu pênis e diz que é para eu não ficar mais excitado perto dele. Não sei o que é, mas ele me manda agradecer, Eu obedeço. Obrigado Senhor!

Com meus pés para o auto, recebo golpes com o mesmo objeto de madeira, a dor é intensa. O Dom intercala os golpes na minha bunda e nos meus dois pés até que, sem poder aguentar mais, coloco as mãos na minha bunda e o Dom para. A dor é intensa, mas saborosa.

O Dom começa a penetrar em mim novamente, soca sem dó e eu recebo sem me mexer. Aguento até que ele para, enfia o objeto novamente no meu ânus e sai.

Após um tempo, o Dom tira o que estava me prendendo, minha venda e me manda ir para o banheiro de quatro, sentar dentro do box do banheiro e esperar. Obedeço.

Após um tempo o Dom aparece, entra no box onde estou sentado e se posiciona em pé na minha frente. Eu o olho de baixo, aquele homem incrível e aquele pênis delicioso estão bem na minha frente, quando de repente o Dom começa a mijar bem em direção ao meu rosto.

Seu mijo é quente e eu abro a boca e encho a boca com seu mijo, sinto o gosto forte de mijo de macho e embora o gosto seja forte eu engulo um pouco. Fico ali até ele parar e quando para, sai do box e me manda tomar banho. Obedeço.

Após o banho e enxuto o Dom me manda ir de quatro para um outro quarto. “A Masmorra”.

Chego na Masmorra e me mantenho de quatro, de cabeça baixa. A excitação toma conta de mim, e eu estou excitado mentalmente, pois o objeto no meu pênis não me deixa ficar de pau duro.

Após um tempo o Dom chega, coloca na minha frente um puf quadrado vermelho, deita no chão, coloca os pés no puf e me manda lamber seus pés novamente. Obedeço

Começo a lamber e chupar os pés do Dom enquanto ele relaxa.

 Quando se cansa, o Dom levanta, tira o puf e logo depois se deita novamente, Deitado, me manda lamber seu saco e suas bolas. Obedeço.

Começo a lamber cada centímetro do seu saco e da sua virilha intercalando com chupadas no seu pau delicioso. Enquanto dou lambidas bem molhadas em seu saco o Dom bate punheta que após um tempo o leva ao orgasmo.

Com um sinal o Dom avisa que vai gozar e neste momento eu me posiciono para esperar e beber todo o seu leite precioso.

Num esporrada divina ele começa a gozar e gozar, pois o Dom goza fartamente.

Tento não perder nenhum gota, mas os jatos são fortes e espirram para todo lado.

Quando termina de gozar o Dom me manda lamber toda a porra que está em seu corpo. Eu obedeço.

Começo a lamber e sugar cada gota de porra que está no corpo do Dom e quando termino ele se levanta, eu me mantenho de quatro e de cabeça baixa.

O Dom sai e eu não resisto, vou lamber três gotas fartas de porra que estão no chão preto da Masmorra. Volto para minha posição.

Quando o Dom volta me manda tomar banho. Obedeço.

Quando termino o Dom me manda ir até o quarto e começa a retirar os acessórios que estão em mim e que agora consigo verificar o que é com clareza. Primeiro um cinto de castidade, depois a coleira e por último o plug anal em forma de pênis.

O Dom me manda ir até minhas roupas e me vestir. Obedeço.

Me visto e quanto estou totalmente vestido o Dom aparece e manda eu pedir o Uber. Obedeço.

Aviso que o Uber chegará em 2 minutos e então ele me orienta descer e esperar.

O Dom abre a porta e eu agradeço por tudo que ele me proporcionou e num gesto de carinho, o Dom me manda avisar quando eu chegar em casa, eu saio e ele fecha a porta.

O elevador chega, estou extasiado e tentando decifrar tudo que estou sentindo.

Entro no carro do Uber que tenta puxar assunto, mas não dou, pois estou processando tudo o que aconteceu.

Já em casa, na minha cama, estou excitadíssimo e com a mente num turbilhão de pensamentos.

E hoje, um dia após vivenciar essa experiência maravilhosa posso dizer:

Foi uma das experiências mais incríveis e deliciosas que experimentei em minha vida.

A sensação de entrega e submissão é sensacional e não conseguiria expressar em palavras o que sinto neste momento, mas posso garantir, a felicidade toma conta do meu ser submisso.

Agradeço por ter me iniciado no mundo BDSM com o DOM GUTO LEMOS e espero do fundo do meu coração poder experimentar muito mais práticas BDSM com este Dom que é sem dúvidas um grande Mestre e exímio conhecedor das práticas e do universo BDSM.

Obrigado DOM GUTO LEMOS.

Beijos nos pés!

© 2014-2019 by Mestre Guto Lemos - all rights reserved. 

  • qVCTq7QS
  • OpuJfSgo
  • Instagram ícone social
  • Facebook App Icon
  • Twitter Mestre Guto Lemos