Bondage

Bondage é qq forma de restrição de movimentos do submisso, seja parcial, seja total. Há muitas formas de fazer isso, sendo as mais comuns o uso de cordas e algemas (metal, couro, etc).  

Quando a bondage com cordas tem tbem um lado estético/artistico chama shibari. 

https://www.recon.com/pt/News/Article/2503     

Neste artigo, introduziremos você ao B do BDSM: Bondage, ou amarração. É uma modalidade popular dentro das brincadeiras pervertidas onde se tira o controle de uma das partes e o transfere completamente para outra. Se você gosta da ideia de ser dominante ou submisso, mas não sabe por onde começar, o bondage pode ser um bom lugar para começar. 

O básico do bondage

O bondage é praticado por diferentes motivos. Não é só destinado àqueles que gostam de sadomasoquismo. Você pode querer ser dominado e , mas também pode preferir a ideia de ser provocado, abrindo mão do controle. Se você gosta de estar no papel Dominador ou "ativo", você também precisará estabelecer um limite para a brincadeira.

Vendas ou capuzes geralmente são usadas em combinação com a amarração, já que a privação sensorial deixa a tortura/provocação mais intensa. Não saber o que vem a seguir aumenta a excitação e a ansiedade do submisso, enquanto o Dominador aprecia o elemento da surpresa.

Você pode usar uma variedade de materiais para prender o submisso, incluindo corda, metal ou algemas de couro, camisas de força e fitas silvertape. A forma escolhida para o bondage fica a critério das suas preferências e do que te deixa mais excitado e confortável. Tente vários materiais e veja quais funcionam melhor com você.

Também existem tipos específicos de bondage, especialmente o shibari (ou bondage japonês de cordas) e mumificação. Shibari ou kinbaku geralmente é feito com propósitos estéticos e artísticos, já que a corda pode ser trançada em padrões de trama. Para isso é necessária prática com pessoas mais experientes. A mumificação é uma forma avançada de bondage que consiste em embrulhar todo o corpo (mas você pode optar por deixar alguns buracos para as brincadeiras sexuais). 

Quando se trata de amarrar seu parceiro, existem muitas posições diferentes para se escolher, mas elas podem ser divididas em algumas categorias básicas: estirado (na qual pernas e/ou braços estão bem espaçados), amarração corporal (mãos amarradas juntas), amarração a um objeto (como uma cadeira ou Cruz de Santo André) e embrulho corporal (por exemplo, mumificação). Doms e subs terão posições das quais gostam mais, então, mais uma vez, tentem uma variedade delas para decidir por quais gostam mais.

Dicas de segurança para o bondage 

É de suma importância a segurança na prática do bondage, já que em situações extremas as coisas podem dar errado. Primeiramente, nunca participe de uma cena bondage com alguém que você não conheça ou confie, já que você poderá estar se colocando em perigo. Ao encontrar um parceiro de confiança, antes de começarem a prática, vocês devem discutir as regras, para que um conheça os limites do outro. Vocês devem estabelecer uma palavra, som ou sinal de segurança, para que a brincadeira possa ser interrompida imediatamente quando ela passar dos limites para o sub.

Se você usar cordas, fitas silvertape ou amarrações corporais, tenha por perto tesouras de segurança no caso de precisar soltar o sub imediatamente. Não deixe o parceiro amarrado sozinho por longos períodos de tempo, já que ele pode se sentir desconfortável sem poder ser solto. Se as amarrações ou os nós estiverem muito apertados, a circulação sanguínea do seu parceiro poderá parar, então fique atento a isso e certifique-se de que ele está confortável. 

A chave para curtir o bondage é fazê-lo devagar e explorar o que você gosta. Você sempre deve se sentir confortável em dizer não para qualquer coisa que te deixe inseguro. Submissos pode, e devem estabelecer limites.

Um bom lugar para começar é conversar com dominadores  que tenham interesse e experiência em bondage. Ao se experimentar novas taras, é sempre uma boa ideia buscar aconselhamento ou ter as primeiras experiências com caras que saibam o que estão fazendo. Geralmente eles têm ligações fortes com a comunidade e poderão te introduzir a esta nova cena.

texto en espanol

La comunidad fetichista es famosa por su diversidad – si crees que algo es morboso, probablemente hay toda una comunidad que está de acuerdo contigo.

En este artículo, te vamos a presentar la B de BDSM: el bondage. Es una forma común de juegos morbosos usado para tomar el control, o dárselo a otra persona. Si te gusta la idea de ser Dominante o sumiso, pero no sabes por dónde empezar, el bondage es una buena puerta de entrada. 

Puntos básicos del bondage

El bondage se practica por muchas razones diferentes – no está reservado solo a los que les guste el sadomasoquismo. Puede que quieras que te dominen, o puede que prefieras que te lleven hasa el límite y darle el control a otra persona. Si deseas tomar el rol de Dominante o 'activo', también tendrás un nivel de juego que prefieras.

Tapar los ojos y las capuchas son prácticas comunes así como atar o ser atado, ya que la privación sensorial es lo que hace que la tortura/llevar hasta el límite sea más intenso. No saber qué es lo que va a pasar le añade un punto de excitación y anticipación al sumiso, mientras que el Dominante puede disfrutar del elemento sorpresa.

Puedes usar varios materiales para inmovilizar al sumiso, como cuerda, metal, esposas de cuero, film para envolver el cuerpo o cinta adhesiva de bondage. La forma de bondage que elijas depende de tus preferencias y de lo que te excite y te haga sentir cómodo. Prueba con varios materiales y descubre cuál es el que prefieres.

También hay algunos tipos específicos de bondage – especialmente el kinbaku (o bondage con cuerda japonés) y la momificación. El kinbaku se practica a menudo con fines estéticos y artísticos, ya que la cuerda puede ser enrollada creando patrones; tendrás que practicarlo con alguien experimentado para aprender la técnica. La momificación es una forma avanzada de bondage que requiere cubrir todo el cuerpo (aunque puedes dejar algunas partes sin cubrir como parte del juego sexual). 

Cuando se trata de atar a tu compañero de juegos, hay muchas posiciones diferentes para elegir, pero se pueden dividir en unas categorías básicas: spread out / abierto de piernas y brazos (para que las piernas y/o los brazos estén separados), inmovilización corporal (por ejemplo atar las manos), atado a un objeto (como una silla o una cruz de san Andrés) y con el cuerpo cubierto (por ejemplo momificación). Los sumisos y los Dominantes tendrán sus posiciones favoritas, o sea, prueba varias opciones para ver cuál es la que te gusta más.

Consejos de seguridad para el bondage 

La seguridad al practicar el bondage es de gran importancia, ya que en algunas situaciones extremas pueden darse problemas. Lo primero, no participes nunca en juegos de bondage con alguien que no conoces o del que no te fíes, ya que puedes acabar en una situación peligrosa. Una vez que has encontrado un compañero adecuado, antes de empezar, deberíais hablar de las reglas del juego, para que los dos conozcáis vuestros límites. También debes elegir una contraseña de seguridad, sonido o símbolo, para que podáis parar inmediatamente si el sumiso no lo aguanta.

Si usas cuerda, cinta adhesiva o film para el cuerpo, ten unas tijeras sin punta cerca por si necesitas liberar al sumiso inmediatamente. No dejes a tu compañero atado solo durante mucho tiempo, ya que puede que se sienta incómodo y necesite ser liberado. Si el film o la cuerda están atados muy fuertes, le puedes cortar la circulación a tu compañero, es decir, comprueba que esté cómodo. 

La clave para disfrutar del bondage es ir despacio y explorar lo que te gusta. Siempre debes poder decir 'no' a algo que no te convence – los sumisos pueden, y deberían, tener sus propios límites.

Un buen lugar para empezar es hablando con otros amos y sumisos que estén interesados y tengan experiencia en el bondage. Siempre que puebes cosas nuevas, es una buena idea que te aconsejen o tener una primera experiencia con chicos que sepan lo que están haciendo. También tendrán una conexión más fuerte con la comunidad, y podrán introducirte a este nuevo mundo. 

text in English

The fetish community is well known for its diversity – if you think something's hot, there's a good chance there's a whole community of people that agree with you.

In this article, we introduce you to the B in BDSM: bondage. It's a popular form of kinky play used to take away control from one party and give complete control to another. If you enjoy the idea of being Dominant or submissive, but don't know where to start, bondage is a great introduction. 

The basics of bondage

Bondage is practiced for many different reasons – it isn't just reserved for those who enjoy sadomasochism. You may wish to be dominated , or you may prefer the idea of being teased and giving up control. If you wish to take the Dom or 'active' role, you'll also have a preferred level of play.

Blindfolds or hoods are often used in combination with being tied up, as it's the sensory deprivation which makes the torture/teasing more intense. Not knowing what's coming next adds a level of excitement and anticipation for the sub, while the Dom can enjoy the element of surprise.

You can use a variety of materials to restrain the sub, including rope, metal or leather cuffs, body wrap and bondage tape. The form of bondage you choose to use is down to your preferences and whatever makes you most excited and comfortable. Try a variety of materials and see which works best for you.

There are specific types of bondage, too – notably kinbaku (or Japanese rope bondage) and mummification. Kinbaku is often used for aesthetic and artistic purposes, as the rope can be weaved into patterns; you will need to practice this with someone experienced to learn the techniques. Mummification is an advanced form of bondage which involves wrapping the entire body (though you may choose to leave some gaps for sexual play). 

When it comes to tying your partner, there are lots of different positions to choose from, but these can be split into several basic categories: spread out (so the legs and/or arms are far apart), body binding (e.g. hands tied together), bound to an object (such as a chair or Saint Andrew's Cross) and body wrap (e.g. mummification). Both subs and Doms will have positions they prefer, so again, try out a variety see which ones you enjoy.

Bondage safety tips 

Staying safe when practicing bondage is of upmost importance, as in extreme situations things can go wrong. Firstly, never participate in bondage with someone you don't know or trust, as you could put yourself in danger. When you have found a suitable partner, before engaging in bondage you should discuss the rules of play, so each person knows the other's limits. You must also come up with a safe word, sound or symbol, so play can be stopped immediately when it becomes too much for the sub.

If you're using rope, tape or body wraps, keep a pair of safety shears nearby in case you need to release the sub immediately. Do not leave a tied-up partner alone for long periods of time, as they may become uncomfortable and need to be released. If the wrap or ties are too tight, your partner's circulation may be cut off, so monitor this and ensure they are comfortable. 

The key to enjoying bondage is taking it slow and exploring what you like. You should always feel comfortable saying 'no' to anything you are unsure about – subs can, and should, have their limits.

A good place to start is talking to other masters and slaves who have an interest and experience in bondage. Whenever trying out new kinks, it's always a good idea to get advice or have your first experiences with guys who know what they're doing. They will also usually have stronger ties to the community, and will be able to introduce you to this new scene

© 2014-2019 by Mestre Guto Lemos - all rights reserved. 

  • qVCTq7QS
  • OpuJfSgo
  • Instagram ícone social
  • Facebook App Icon
  • Twitter Mestre Guto Lemos