Vc quer saber mais profundamente de como eu entendo e vivo o BDSM? Leia a transcrição de um bate-papo fetichista no grupo do Thiago Horus de Natal-RN.

April 24, 2017

 

 

 

Entrevista dada ao grupo de BDSM do Thiago Horus de  Natal-RN dia 15/04/17 (editado para proteger a identidade das pessoas e para maior concisão de texto, informaçoes complementares tbem editadas, como novas datas  do BDSM Camp Experience 2018).

 

Thiago Horus: Mestre Guto Lemos, seja muito bem vindo ao nosso bate-papo Fetichista.  Primeiramente desejo-lhe as boas vindas ao nosso grupo.

 

Mestre Guto Lemos - A convite dos Thiago Horus estou aqui pra conversar com vcs hj sobre BDSM

 

Thiago Horus: M. Guto, como estudioso e praticante de BDSM, quais as 5 características fundamentais que não pode faltar em uma pessoa dominante?

 

M. Guto -: Então Thiago, eu acho que o Dominador ja nasce com essa caracteristica de ser Dom, e aos poucos vai descobrindo-as e lapidando-as.   O sub percebe isso até pelo olhar do Dom.  caracteristcias que acho importante: ser autoridade e nao autoritario, ter e passar segurança no que diz e faz, ter voz de comando, curtir ser agradado e obedecido, saber lidar com subs que desafiam essa autoridade com tranquilidade, ter conhecimento de BDSM não somente através das práticas, mas tbem conhecimento teórico.  Bons praticantes de BDSM precisam ler um pouco, atividade que tem cada vez menos adeptos hj em dia. As pessoas querem videos longos e posts curtos. Pra diversão tudo bem, mas  é necessários mais do que isso para os praticantes de BDSM. 

 

Thiago Horus: Grato. Dada sua experiência, já houve alguma situação de risco que quase perdeu o controle? Pode nos detalhar?

 

M. Guto - : De risco sim, que perdi o controle nao.  O sub usou drogas antes de chegar na sessão comigo e desmaiou. Tive que acudi-lo e lidar com a situaçâo.  Ele usou algo antes de chegar no meu apto mas so descobri alguns minutos depois.  senao nem teria iniciado a sessao.

 

Thiago Horus: Entre os fetiches de seus submissos, quais os mais praticados?

 

M. Guto: Dogplay, podolatria, varias formas de bondage como mordaças, algemas, cordas, vendas, spank leve a moderado, tbem tenho os adeptos do fisting,  e os que eu considero avançados pq são submissos de longa data, que ja fizeram muitas sessoes comigo, rola confiança a progresso em sessoes, aí pode rolar mumificação, "sequestro"consentido, sonda em uretra, privação de sentidos, etc

 

 

Thiago Horus: Em que momento da sua vida descobriu-se como fetichista e em qual deu inicio ao BDSM?

 

M. Guto -  Mesmo antes de eu saber que era dominador eu de certa forma curtia isso, por exemplo nas relaçoes com meus namorados eu era sempre muito dominate/ controlador.  Decididia tudo pelos dois, gostava que eles perguntasse o que eu queria, como eu queria, pedir autorizaçao etc

Já de criança em desenhos as situaçòes que super heróis prendiam/ amarravam os bandidos me davam tesao.  eu ja gostava de tudo isso. Essas situaçoes me excitavam muito. Depois que conheci o BDSM e comecei a praticar é que me dei conta que a personalidade de dominador sempre existiu.  Tbem sempre gostei de ser o ativo da situação no amplo senso da palavra, ou seja, o que faz as praticas, o que controla, o que propõe. Eu não gosto de de me submeter, gosto que se submetam a mim.

 

Bdsmer3 - Percebo hoje, nem tanto aqui em Natal, mas principalmente em São Paulo uma mudança sutil no BDSM. Mais pessoas  passando a ter interesse em conhecer ambientes fetichista por exemplo. Essa fase de iluminação do BDSM, te preocupa ou estimula?

 

 

M. Guto - Entao, em primeiro lugar precisamos separar as cenas BDSM gay e hetero. pelos minhas respostas anteriores vcs ja perceberam que sou gay e atuo no BDSM gay. Embora as regras não mudem e existam festas BDSM/ fetiches gays e HTs, sao comunidades que vivem o BDSM de formas diferentes ( na minha opinião). pois a sexualidade vai influenciar nisso e muito, além das dificuldades históricas de submissão das mulheres para com os homens, que cria ranços dos dificuldades entre homens e mulheres no BDSM hetero, questão que não tem nada a ver no BDSM gay, porque afinal são dois homens. Agora mais dentro da sua pergunta: acho legal que a cena BDSM está se abrindo mais, mais opções e mais praticantes.  isso é bom, assim o BDSM cresce e mais pessoas veem o BDSM como algo normal/ tranquilo, embora eu realmente não ache que o BDSM seja realmente algo para todos, falo do grande público. Aqui em Sao Paulo existem festas e locais BDSM mistos e festas BDSM gays. no Rio por exemplo o BDSM hetero é interessante, tem mais opçoes, ja o BDSM gay lá é mais restrito de opções.  Percebo tbem um maior interesse da galera jovem pelo BDSM.  Muitos começam pela podolatria, consolos, sexo hard, acabam gostando e querem mais. Aí desembocam num BDSM real. Obviamente há um funil nesse caminho.

 

Thiago Horus: Dou como encerradas as minhas perguntas. Bdsmer1  com a palavra.

* para proteger a identidade das pessoas optamos por identificar os participantes que além do mediador Thiago Horus, eram mais 4 pessoas, por BDSMer1,2,3 e 4.

 

BDSMer1 - Obrigado Mestre Horus e Boa tarde Mestre Guto.  Em um de seus artigos, o sr comenta sobre Garotos de Programa “atuando” como Dominadores.  Sobre este “Nicho” de GPs “posando” de Dominadores, qual sua opinião sobre o estrago que isso provoca no BDSM? Acha que estes praticantes reforçam uma imagem errada que a sociedade tem do BDSM além de apresentar risco pra quem se submete a estes?

 

M. Guto – Bom, eu me incomodava mais com isso e hj em dia nao mais.  Entendo que quem realmente curte BDSM/ fetiches vai procurar e ACHAR coisas legais e interessantes no BDSM.  Os GPs que se colocam como dominadores são na verdade uns caras que adicionam alguns fetiches no que eu chamo de "foda hard". uma lambida de pé, uma mijada, uns tapas.  sabemos que nada disso assim desse jeito é BDSM. Por um outro lado, ficar se incomodando com isso tipo virar fiscal BDSM é uma bobagem. E talvez desperte o desejo de alguns em ir mais além, de procurar algo a mais. se a pessoa fica só nisso, talvez ela se satisfaça com esse pouco mesmo. eu de verdade acho que o BDSM exige mais das pessoas intelectualmente, as pessoas precisam ler, conversar, se informar. e isso nào é mesmo pra todo mundo. Normal.

 

BDSMer1 - Minha próxima pergunta está mais ligada a uma curiosidade: Li um relado onde acredito que seu nome tenha sido citado à respeito do BootCamp em Berlim. Gostaria de saber, primeiramente se o Sr. Esteve no Bootcamp Alemão, e se esteve pode nos contar um pouco da experiência?

 

M. Guto - Eu estive em Berlim com outros amigos dominadores: Dom Luís Montes Santos e  Mestre Brenno Furrier. Eu estava com eles na Folsom de Berlim 2015 e retornei ao Brasil logo após. Já eles ficaram e participaram do Boot Camp que aconteceu logo após a Folsom numa prisão desativada na Alemanha. Eles se inspiraram  nessa experiência para formatar o projeto BDSM CAMP Brasil., isso foi em 2015. Já em 2016, teve  o Steppenbrand SM Germany, que participaram Dom Luís e Dom Fausto. Essas experiencias foram adaptadas e trazidas pro cá ( dentro do possível). A partir delas daí ja fizemos 3 edições ( onde além dos doms já citados (Dom Luis, Mestre Brenno, Dom Fausto), tivemos participação do Dom Barbudo, Dom PC, Dom Mark, Dom Max. Iremos  pra 4a. edição agora em 29/7 aqui em SP. Mais informaçoes das edições passadas estão no site abaixo e em breve teremos informações sobre a 4a ediçao, que acontecerá em 29/7/2017.

http://bdsmcampbrasil.com 

Agora sua pergunta mais especificamente: eu fui na festa Folsom em Berlim e em clubes de dominaçao de lá. eu nao fui nos camps alemães ( Dom Luis, Mestre Brenno e Dom Fausto foram), site do evento que forma o Dom Luis e Dom Fausto: http://www.steppenbrand-mv.de 

mas conversei longamente com esses amigos do nosso grupo de BDSM sobre esses camps, como era foi a organização, como foi o inicio deles lá ( tbem pequeno, tbem pouca gente). Vi fotos e videos.  Meu amigo Brenno Furrier registrou esse experiencia no seu site, recomendo muitíssimo copiar o link e ler com calma esse relato em detalhes:

http://www.brennofurrier.com/bootcamp-alemanha-2015/   

o que que posso te dizer é que eles estao a anos-luz daqui, até pq eles criaram o BDSM, esse grupo do norte da Europa. falo de alemães, holandeses, ingleses, etc as pessoas vivem o bdsm, tem acessórios, tem locais para ir, têm masmorras equipadas em casa, tem muitaas festas SEGMENTADAS por fetiche, etc. Tipo naquele dia é uniformes esportivos, se vc vier querendo praticar outra coisa, vc é convidado a se retirar. Se não estiver com as roupas adequadas, nem entra...aqui uma  festa BDSM nao pode ser segmentada por algum fetiche pq mesmo colocando todas ainda nao tem uma grande frequência. Devido a cultura mais militarizada do passado desses paises, as pessoas se submetem mais a regras, isso ajuda bastante.  aqui facilmente bdsm vira apenas putaria com acessórios.  Lá existem camps em locais que foram realmente prisoes e foram desativadas, pessas que tem roupas militares de usadas em guerras reais, gruas de construcao civil que sao usadas em suspensao, lá a coisa acontece mesmo. isso sem falar dos que praticam bdsm privativamente sem se mostrar, casais hts e gays que vivem o BDSM privativamente entre eles. Ou seja, a cena é grande, muitos praticantes, facilidade de comprar acessorios legais, ir a locais legais, festas privadas, clubes estruturados especificamente para isso, etc como o clube Quaelgeist ( visitem esse site!)

http://www.quaelgeist.sm/index.php/en/   

 

BDSMer1: Ainda mantendo este gancho, Mestre, confesso que fiquei deslumbrado quando li sobre o "prision camp" e sobre as edições brasileiras. Mas ai me surgiu uma duvida que vem a ser minha terceira pergunta: A quem o Sr. NÃO indicaria participar? (esses não indicados, digo dentro do Universo BDSM mesmo)

 

M. Guto - Complicado isso, dizer quem nao pode participar, a gente atendeu todo mundo que quis participar, desde novatos a subs experientes, integramos todos dentros dos limites colocados. Diria que nao pode participar quem nao curtiu a programacao proposta ou se submeter aos dominadores, ou seja, não curtiu o esquema proposto. enfim, nao queremos excluir pessoas e sim incluir.  Por exemplo na primeira ediçao só podiam se inscrever submissos, já na edição 3 abrimos para voyers e dominadores trazerem seus submissos. Pra essa 6 edição, pretendemos chegar mais próximo ainda dos moldes europeus: festa corganizada pro nós mas aberta a todos em local no centro de São Paulo, de fácil acesso e com preço muito acessível. Teremos 4 edições em 2018, já com datas programadas: 24 março, 02 junho, 08 setembro  e 1o dezembro 2018. 

 

Recomendo o site do BDSM Camp para acompanhar tudo, em breve o site estará também em ingles

www.bdsmcampbrasil.com 

 

Aproveito aqui para deixar o link pro meu perfil no facebook: 

https://www.facebook.com/guto.lemos.94  

 

BDSMer1: : Isso é realmente uma coisa maravilhosa de se saber. Mudando um pouco de assunto, acompanhando algumas de Suas publicações, percebi que o Sr. É adepto da pratica de mumificação. Qual o sentimento/sensação que se passa ao ver Seu submisso entregue de uma forma tão completa e profunda?

 

M. Guto - bem eu curto quase todas a praticas BDSM, mumificacao é uma delas, é muito legal a sensacao da entrega do sub, estar ali completamente imobilizado, totalmente a mercê do dom. considero uma pratica avançada do BDSM, exige bastante dos 2 lados. Exige muita tecnica, monitoramento do Dom e resistencia do sub.

 

BDSMer1: Ainda mantendo esta linha de praticas avançadas, outro dia li um relato de seu submisso contando da experiência inigualável para ele de ficar em Sua posse por 36h. Gostaria de saber como foi esta experiência mas de Sua perspectiva. Ter um "refém", ja que tratou-se de um sequestro.

 

M. Guto - bem importante frisar que foi um "sequestro consentido", ou seja, de sequestro só tem mesmo a fantasia, mas BDSM muitas vezes é isso, viver de forma consentida uma fantasia que se fosse real seria até mesmo proibida.  curti muito isso acorrentar o submisso de verdade, ele ficou acorrentando feito cachorro, com uma corrente de metal presa gancho fixado para isso na parede da minha masmorra. percebo pelas perguntas que vem aqui que muitos do grupo tem ido ao meu site/ blogue e lido os posts. fico bem feliz em perceber esse interesse de vcs.

 

Thiago Horus: Encerrando as perguntas do BDSMer1, passo a vez para o BDSMer2

 

BDSMer2 : Voltando ao assunto da pergunta que fiz de forma precipitada acima percebo muitos veteranos temendo essa popularização. Ao seu ver, o que motiva esse temor?

 

M. Guto - nem entendo qual seria o temor. talvez o de deixar de ser uma igrejinha de 10 pessoas? o de as pessoas nao fazerem o BDSM puro que a pessoa A ou B tem como o BDSM "certo" ?

alguem ler "cinquenta tons de cinza" e comprar um cinto de castidade pro marido? Enfim, esse temor me parece o medo de deixar de ser exclusivo, só isso.

 

BDSMer2:Qual foi a experiência mais gratificante que vc passou no meio?

 

M. Guto - ah felizmente sao MUITAS.  amigos que a gente faz, sessoes fantasticas, viagens, descobertas, o bdsm é um mundo muito ampliou seja, nao tenho 1 experiencia legal, tenho VARIAS

 

BDSMer2 : Dou como encerrada minhas perguntas. Obrigado!

 

Thiago Horus: Encerrando as perguntas da BDSMer2 passo a vez para o BDSMer3

 

BDSMer3: Boa tarde, cordialmente saúdo-os. Como você tem percebido a evolução (ou involução) das relações na Cultura BDSMer, com as  redes sociais virtuais?

 

M. Guto - eu acho que só ajuda, veja nesse momento estou conversado com vcs, um grupo de Natal-RN que sabe bastante do BDSM pq usou a internet pra ler e se comunicar com outras pessoas. As pessoas leem meu site/ blogue e de outros dominadores.  quem lê em inglês consegue ainda mais informações.  eu acho isso tudo fantastico. um cara perdido numa cidade pequena vamos dizer do mato grosso que talvez 10 anos atras se achasse maluco por ter tesao em pés ou em amarrar alguem logo percebe que isso existe no mundo todo,. pode fazer um  perfil no facebook de bdsm, pode participar de grupos de whatsapp. pode formar sua opiniao depois de ver/ler muita coisa. enfim eu acho que AJUDA muito e faz o BDSM e as pessoas EVOLUIR mais rapidamente. como nada é perfeito e tbem existe o lado B, tem os falsos dominadores, ideias baguncadas do que é BDSM, mas acho que tudo isso fica pequeno dentro das facilidades que se tem.  quem quiser achar as coisas vai achar rapido. a informaçao rapida, barata (muitas vezes gratis) esta ai pra todos. vc hj em dia vai no site chines ali express e acha varios acessorios legais a preços idem e importar diretamente. tudo isso é facilidade que temos e que nao existia.

 

BDSMer3: Entendi.  O sr acha que a Cultura BDSM no Brasil/ Mundo caminha para uma normatização, hierarquização, militância ?

 

M. Guto - mas percebi que fiquei muito em falar em como a internet faciltou tudo, deixa eu falar um pouco dos grupos de redes sociais.  acho que ai tem mesmo sim um lado B que nao abordei. tem muita gente despreparada que se coloca na posiçao de dominador, sem conhecimento, acessorios e tecnicas adequadas. e pior ainda, sem humildade nenhuma pra ler, conversar, aprender, ele/ela acaba se auto entitulando dom/ domme mas é fraco de tudo que se espera de alguem que se colcoa nessa posiçao e pode sim criar experiencias ruins pra submisso e pro bdsm. ou mesmo usar o bdsm pra na verdade obrigar a pessoa a fazer coisas contra a contade dela ou que possam prejudicar a saude delas.  esse é o lado B das redes sociais e do BDSM mais popularizado. agora sua ultima pergunta: eu acho que o BDSM no mundo caminha mais para uma popularizacao e menos para uma hierarquizaçao. ate pq nao exite nenhuma escola/ faculdade que da titulo de dominador/ submisso pra ninguem, as pessoas dizem que sao, que sabem, e o publico capacitado acaba por separar o joio do trigo. mesmo na europa tem muita gente que nao quer os rotulos ou a disciplina bdsm, querem é curtir as praticas somente, esse é um preço de popularizar o BDSM, a hierarquia se perde no caminho. eu particularmente nao gosto muito dessa tendencia, mas verifico que o que mais tem não é submisso, mas o que eu denomino "feticheiro", ou seja, alguem que quer encontar um parceiro pra juntos viverem fetiches, sem muita hierarquia.mas aí cada dom/ domme coloca suas regras e se submete quem quer.

 

 

BDSMer3: Quais lições do que _não_ foi bom nas tuas vivências BDSMer deixarias para que adentram nela, hoje?

 

M. Guto - deixa ver se entendi sua pergunta, vc esta perguntando algum conselho que eu daria pras pessoas a partir de experiencias ruins que tive? algo pra elas evitarem?

 

BDSMer3: Perfeito

 

M. Guto -: como eu disse acima, evitar usao de drogas, alcool em sessao. pode ser muito perigoso pra ambos os lados. o BDSM exige controle da situacao e observacao dos dois lados. o risco em sessoes é sempre maior pro dom, ele esta conduzindo (bem ou mal ) a coisa. tomar muito cuidado em relacao a sua saude e a do parceiro/a.  camisinha em tudo, consolos inclusive. higiene, respeito, etc. a unico experiencia ruim que tive foi essa, o do desmaio de um sub que usou droga e ja chegou assim, eu tive que parar a sessao e ainda acudir a pessoa. acho que esse é o momento de eu deixar uma mensagem: as praticas bdsm em geral envolvem algum grau de risco, algum das muito baixas, outras mais altas.  esses riscos devem ser calculados e DIVIDIDOS entre os praticantes. o SSC é a bússola, a pratica é SSC? (saudável, segura e consensual? )se não é NAO FAÇA. existe risco zero?  nao, nao existe. pode  tudo desde que as partes estejam de acordo? claro que nao, pq a pratica pode ser consensual mas nao ser suadavel

 

BDSMer3: - Em nome do grupo, agradeço as respostas e compartilhamentos de idéias/ opiniões. Encerro meu turno de perguntas, passo o microfone 🛡😊⚔

 

Thiago Horus: Alguém mais gostaria de pronunciar-se?

 

M. Guto -: pessoal, mais uma vez digo que é legal estar com vcs e trocarmos experiencias em BDSM, conforme combinei podeiria ficar ate as 19hrs e preciso sair.  boa noite a todos!

 

Thiago Horus: Mestre Guto, agradeço muitíssimo vossa presença e disponibilidade para conosco

 

BDSMer3: Hórus fala por nós todos, seguramente!

 

Thiago Horus: Sem dúvida somou muito em nosso aprendizado e contribuirá com a reflexão de muitos outros que não puderão participar mas como autorizado por vós creio que lhe buscaram no privado caso necessário

 

Thiago Horus: Continuamos no aprendizado e és bem vindo quando quiseres trocar algumas ideias e reflexões conosco, também irei ausentar-se mas deixo-lhes as reflexões aqui promovidas, agradeço também aos colegas de estudo que participaram e contribuíram com esta oportunidade.

 

M. Guto - Até mais e boa noite a todos.

 

 

 

 

 

Please reload

Featured Posts

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Recent Posts